Páginas Revolucionárias: Anarquismo, Contracultura e Imprensa Alternativa no Brasil

A Rizoma Editorial anuncia o lançamento da obra Páginas Revolucionárias: Anarquismo, Contracultura e Imprensa Alternativa no Brasil, de João Henrique Oliveira, doutor, mestre e bacharel/licenciado em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e bacharel em Comunicação Social pela mesma instituição.

A década de 1960 foi marcada pelo signo da contestação ao establishment. Seja nos protestos do Maio de 68 ou no heterogêneo movimento de contracultura, um inconfundível perfume libertário pairava no ar e impelia a juventude a se voltar contra as duas faces da tecnocracia dos tempos de Guerra Fria: o capitalismo made in USA e o “socialismo de Estado” from URSS. Entre as variadas bandeiras levantadas nas passeatas ou nos textos dos jornais independentes, o anarquismo também marcou presença como uma das ideologias que foram ressignificadas naquele fervente caldeirão de rebeldias. Mas… e no Brasil? Houve quem buscasse reacender a chama negra do anarquismo, mesmo sob as trevas da ditadura? E os ventos da contracultura? Sopraram também por aqui? Nesta obra, o autor investiga como e por quem os conceitos e práticas anarquistas foram reivindicados aqui, nestes nossos “tristes trópicos”, avaliando ainda se foi estabelecido algum tipo de diálogo entre os preceitos do anarquismo e as ideias da contracultura. Para isso, o autor pesquisou jornais publicados entre os anos 60 e 90 – a maioria durante o período áureo da imprensa alternativa, importante trincheira de resistência ao regime verdugo. Também foram analisados depoimentos de personagens que viveram a época e ajudaram a escrever importantes páginas de uma história ainda pouco conhecida. Páginas revolucionárias que ainda trazem uma significativa mensagem libertária para as lutas – de hoje e sempre – contra os autoritarismos de todos os matizes.

Angela Cristina Barbirato (1974-2021)

É com indescritível pesar que a Rizoma Editorial lamenta o falecimento de nossa companheira, capista e encarregada de vendas Angela Cristina Barbirato, mais uma vítima da pandemia da COVID-19. Nossa companheira esteve sempre presente em todos os momentos da Rizoma Editorial, desde o início de nossas atividades em janeiro de 2011, destacando-se por sua grande competência e incansável dedicação ao trabalho. Sempre atenta ao relacionamento com os clientes, dedicava horas à divulgação de nossas publicações em redes sociais, produção de capas (sempre em várias versões, para que os autores tivessem o máximo de opções para escolha de sua preferida), cuidadosa embalagem dos livros e postagem com todos os cuidados devidos para assegurar a integridade dos livros. Podemos afirmar, sem titubeio, que ela era a força motriz da Rizoma Editorial.

Não temos, nem jamais teremos, como substituir essa perda irreparável que será para sempre lamentada. Porém, não esmoreceremos! Estamos nos autorreorganizando para manter nosso trabalho editorial com a melhor qualidade possível e assim seguiremos adiante, apesar das gigantescas dificuldades que ora enfrentamos – o rizoma não fenecerá e nossa leal companheira, amiga querida e colaboradora incansável viverá para sempre em nossos corações e mentes.

Dinâmicas Socioambientais do Novo Coronavírus (COVID-19)

A Rizoma Editorial tem a honra de anunciar ao seu público leitor a publicação da obra Dinâmicas Socioambientais do Novo Coronavírus (COVID-19), organizada pelo Prof. Dr. Carlitos Luís Sitoie, docente da Universidade Save, Extensão de Massinga – Moçambique e pela Profa. MsC. Ana Verdial, docente da Universidade Save.

Este livro é constituído por uma coletânea de textos elaborados por pesquisadores de Moçambique, Brasil, Portugal e Espanha, no exercício de partilha de experiências e resultados de investigações científicas realizadas pelas instituições acadêmicas desses países sobre o Novo Coronavírus (COVID-19). Este resulta de uma conferência que marcou a área de pesquisa e extensão universitária com contribuições técnico-científicas que procuram fazer face aos desafios que se enfrentam hoje em dia diante da COVID-19, tendo estabelecido redes de pesquisas permanentes para discussão dos problemas socioambientais locais, regionais e globais, com abrangência ao público acadêmico, pesquisas de diversa inserção, relacionados com a pandemia do COVID-19. Portanto, o livro traz subsídios e contribuições científicas inspiradas nas diversas realidades moçambicanas, portuguesa, brasileira e espanhola, sobre as dinâmicas socioambientais do Novo Coronavírus.

Com esta publicação, a Rizoma Editorial reafirma o seu compromisso com a ciência e o meio ambiente, bem como sua solidariedade com os países da África, América Latina e Caribe na divulgação do conhecimento científico e no enfrentamento das questões socioambientais, inclusive esta catástrofe de proporções planetárias que já pode ser considerada como “o mal do século”, a pandemia do COVID-19.

Disponível em formato digital (ebook Kindle) na Amazon do Brasil.

O Esverdeamento da Política e Outros Ensaios

No centenário de seu nascimento, é com satisfação que a Rizoma Editorial anuncia ao seu público leitor o lançamento de uma nova coletânea de textos do ativista ecológico Murray Bookchin (1921-2006), O Esverdeamento da Política e Outros Ensaios.

Esta coletânea reúne nove ensaios, escritos entre as décadas de 1970 e 1990 e publicados pela primeira vez em língua portuguesa, que abordam a política do movimento ecológico, agricultura orgânica e o debate entre ecologia social e ecologia profunda. Todos se mantém atuais e de imensa relevância e interesse neste momento em que a humanidade atravessa uma crise ecológica sem precedentes, provocada pela “lógica” suicida da economia do “crescer ou morrer”.

Disponível em formato digital (ebook Kindle) na Amazon do Brasil.

Ecologia Social e Outros Ensaios

capa_ecologia_social_2

Neste Dia Mundial da Terra, a Rizoma Editorial traz ao seu público leitor uma edição em formato digital, revista e atualizada, da coletânea de textos Ecologia Social e Outros Ensaios, do ativista ecológico Murray Bookchin (1921-2006), publicada originalmente em edição impressa pela Editora Achiamé do Rio de Janeiro em 2010 e republicada, também em versão impressa, pela própria Rizoma Editorial em 2015.

A ecologia social sustenta a ideia básica de que os problemas ecológicos estão profundamente relacionados aos problemas sociais, particularmente no domínio dos sistemas políticos e sociais autoritários e hierarquizados. A ecologia social sugere que não é possível fazer a tais problemas apenas por ações individuais como o “consumismo ético”, mas sim através de atividades coletivas fundamentadas em ideias democráticos e libertários radicais. A complexidade das relações entre os seres humanos e a natureza é enfatizada pela ecologia social, juntamente com a importância de se estabelecer estruturas sociais que levem em conta tais relações.

Disponível em formato digital (ebook Kindle) na Amazon do Brasil.

Sua Liberdade e a Minha: A Questão Curda na Turquia de Erdogan

A Rizoma Editorial anuncia o lançamento da obra Sua Liberdade e a Minha: A Questão Curda na Turquia de Erdogan, uma coletânea de textos organizada por Thomas Jeffrey Miley e Federico Venturini, publicada pela primeira vez em língua portuguesa, que apresenta um relato literalmente enciclopédico sobre a luta do povo curdo contra o estado terrorista turco do ditador Recep Tayyip Erdoğan (sempre apoiado pelas “potências ocidentais” capitalistas).

Um revolucionário preso em uma fortaleza insular pode ter a chave da paz no Oriente Médio. O líder do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Abdullah Öcalan, é considerado por muitos como o “Mandela Curdo”, emitindo corajosamente propostas de paz mesmo a partir da cela da prisão. Suas ideias sobre democracia, libertação das mulheres e liberdade até inspiraram a notável Revolução de Rojava no norte da Síria. Enquanto a Turquia mergulhou na tirania e a Síria explodiu em guerra civil, uma delegação de paz de políticos, acadêmicos e jornalistas europeus, liderada pelo advogado de Nelson Mandela e juiz da Suprema Corte, Essa Moosa, tentou repetidamente ir ao encontro de Öcalan em sua prisão na ilha de Imrali.

Sua Liberdade e a Minha conta a história dessas importantes delegações. O livro abre com uma visão histórica informativa da questão Curda, até a abertura otimista – e eventual falha amarga – do processo de paz na Turquia. Inclui documentos e relatórios oficiais das Delegações Imrali em Istambul e Diyarbakir/Amed, que envolveram entrevistas aprofundadas com políticos, mídia e sociedade civil curdos e turcos sobre a degeneração da situação política e de direitos humanos. A seção final é uma coleção de depoimentos dos participantes da delegação. Sua Liberdade e a Minha oferece uma visão crucial da história dramática e da realidade atual da luta curda por reconhecimento e paz na Turquia.

Liberdade para Abdullah Öcalan!

Sociologia e Teoria do Movimento Estudantil

A Rizoma Editorial anuncia o lançamento da obra Sociologia e Teoria do Movimento Estudantil, de Diego dos Anjos, doutor em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo. e professor do Instituto Federal de Goiás e Gabriel Teles, doutorando em Sociologia pela Universidade de São Paulo. Nesta obra, as abordagens sociológicas são analisadas criticamente, um dos vários méritos do presente livro, e é apresentada uma nova compreensão do movimento estudantil, bem como se esboça uma análise de sua relação com o movimento juvenil. A criticidade é fundamental em uma sociedade que hoje tem um paradigma hegemônico que desvalora a razão e a teoria. Nada mais oportuno do que, na contracorrente do que é hegemônico, aprofundar a teoria, a compreensão dos fenômenos sociais e a retomada do senso crítico.

Movimento Estudantil: Conflitos, Organizações e Mobilização

A Rizoma Editorial anuncia o lançamento da obra Movimento Estudantil: Conflitos, Organizações e Mobilização,  uma coletânea de textos organizada por Diego dos Anjos (professor do Instituto Federal Goiano), Nildo Viana (professor da Universidade Federal de Goiás) e Maria Angélica Peixoto (professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás).

O movimento estudantil é um movimento social específico que tem características comuns com outros movimentos sociais e características próprias. A presente coletânea aborda as formas organizacionais, conflitos e mobilização dos estudantes. Os estudantes possuem reivindicações próprias e, ao mesmo tempo, estão envolvidos na sociedade moderna, são influenciados pelas lutas de classes, ideologias, doutrinas, bem como exercem uma ação sobre ela, algumas vezes através de um forte impacto político. A base social do movimento estudantil ajuda a explicar essas características e sua posição singular no interior das lutas sociais na sociedade capitalista. Vários aspectos desse processo são desenvolvidos na presente obra, que torna-se importante para compreender a dinâmica do movimento estudantil.

Disponível em brochura e ebook.

 

Educação, Violência e Contradições

A Rizoma Editorial anuncia o lançamento da obra Educação, Violência e Contradições, uma coletânea de textos organizada por Diego dos Anjos (professor do Instituto Federal Goiano), Nildo Viana (professor da Universidade Federal de Goiás) e Maria Angélica Peixoto (professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás).

A educação escolar é um dos fenômenos mais pesquisados e estudados no interior das ciências humanas. A maioria das abordagens, no entanto, acabam se revelando apologéticas. Isso pode ser visto nas mais variadas análises e abordagens do fenômeno educacional, desde o positivismo até a concepção denominada “sócio-histórica” de Vigotsky. Contudo, é necessária uma abordagem crítica da educação formal, que consiga compreender suas contradições. Educação, Violência e Contradições objetiva justamente analisar as contradições da educação escolar, observando suas características, incluindo a violência que se desenvolve no seu interior. Para tanto, a presente coletânea parte das abordagens sociológicas da educação e também de fenômenos educacionais mais específicos e fundamentais que expressam a violência e as contradições no seu interior.

Disponível em brochura e ebook.

Uma História Oral do Movimento Anarcopunk em São Paulo, 1988-2001

A Rizoma Editorial traz ao seu dileto publico leitor mais uma obra dedicada ao movimento anarcopunk paulistano “de raiz”: Uma História Oral do Movimento Anarcopunk em São Paulo, 1988-2001, de autoria do jornalista Eduardo Ribeiro, colaborador de diversas mídias e autor da coletânea Zine é Compromisso, sobre os fanzines brasileiros de música dos anos 1990.

Esta obra, em formato de história oral, nos moldes do clássico “Mate-me Por Favor”, cobre o período de 1988-2001 do movimento anarcopunk em São Paulo. Uma série resumida em quatro matérias desse conjunto de depoimentos foi publicada pela VICE em 2018. Trata-se da história de uma faceta do punk brasileiro nunca antes documentada, a respeito de quando o punk deixou de ser apenas outra “tribo urbana” e seguiu em busca de uma existência anarquista militante – com todos os tropeços e amarguras pelo caminho.

Na história do Movimento Punk entre nós, tem muita coisa interessante perdida abaixo da superfície, raramente abordada, a não ser pelos próprios zines e veículos punks/libertários. Uma delas é a formação da vertente anarcopunk, que colaborou para definir toda a ética e modo de agir do anarquismo contemporâneo. Fui atrás de fatos que só se descobrem na conversa de punk pra punk e detectei que em 87, por exemplo, um conjunto de João Pessoa (PB), o Disunidos, já se assumia “anarco-punk”. Mas o MAP (Movimento Anarco-Punk) só surgiria mesmo no começo dos anos 90, quando jovens interessados em fazer algo além do barulho, dos rolês em banca, das tretas entre gangues, da chapação, do pogo e do visual, criaram de fato as primeiras células assumidamente anarquistas. Passados cerca de dois anos de encontros, pesquisas, coletas e transcrições de conversas e edições, apresento finalmente um apanhado daquilo que penso que todos interessados no punk nacional enquanto movimento político, e não só um elemento de almanaque pop, deveriam conhecer, com depoimentos focados no período entre 1988-2001. Um pequeno esforço para que tudo o que essa galera fez em nome de seus ideais, mesmo diante de certa ingenuidade e atropelo, não caia no esquecimento.

Longa vida ao Movimento Anarco-Punk, em São Paulo e todas as megalópoles planetárias!